(voltar a trabalhos 04/05)


 

 

As estrelas

 


Como nascem?

Como morrem?

Como se classificam?

O Sol

Endereços consultados

Grupo de trabalho

 

 

Tal como nós, as estrelas nascem, vivem e morrem.

 


 

Como nascem as estrelas

 

As estrelas nascem da fragmentação e colapso gravitacional das nuvens de gás e poeira que existem no seio das galáxias – as nebulosas.

 

 

A partir do momento em que uma nuvem entra em colapso, a densidade e a temperatura aumentam, fazendo com que as suas partes centrais se tornem mais densas e quentes. A acumulação de massa no centro faz com que mais massa seja atraída e colapse sob a acção da gravidade. As regiões centrais colapsam mais rapidamente, pois estão sujeitas a uma força gravitacional maior. O resultado é um núcleo quente e denso rodeado por um casulo de gás e poeira, aquilo que os astrónomos designam por uma proto-estrela.

Ao fim de vários milhões de anos, a temperatura no centro é de tal forma elevada que os átomos de hidrogénio se começam a fundir. A fusão do hidrogénio produz hélio e a energia libertada faz com que o núcleo central se torne visível. Nasce assim uma estrela!

 

In http://www.feranet21.com.br/curiosidades/estrelas_nascimento.htm

 

 

As nebulosas - formadas basicamente pelos gases hidrogénio e hélio - podem ser consideradas berçários estelares, já que abrigam as estrelas recém-nascidas, que os cientistas baptizaram de jovens ou protoestrelas.

 

Nebulosa de Orion

A nebulosa de Orion - O telescópio espacial Hubble, em Novembro de 95, fotografou mais de 150 estrelas em formação, apenas numa pequena região desta nebulosa.

 

 

 

 


 

Como morrem as estrelas

 

A forma como uma estrela termina a sua vida depende da sua massa.

Uma estrela típica como o Sol (de menor massa) nunca atinge a fase de supergigante. Irá passar, depois de esgotar o seu hidrogénio, pela fase de gigante vermelha, libertando em seguida as suas camadas exteriores para o espaço. Deixará como marca da sua existência uma nebulosa planetária, e o seu núcleo central formará uma anã branca. Grande parte da sua massa será assim disseminada pelo espaço interestelar.

 

anãs brancas – constituem o que resulta do núcleo de uma estrela na qual deixou de ocorrer fusão nuclear.

 

As estrelas de massa mais elevada morrem de uma forma mais espectacular. Depois de passarem por uma fase de supergigantes, consumindo no seu interior elementos cada vez mais pesados, aquelas com mais de 6 massas solares acabam por morrer sob a forma de uma supernova, uma explosão catastrófica capaz de produzir tanta luz como uma galáxia inteira. No centro da explosão poder-se-á formar uma estrela de neutrões ou um buraco negro.

 

estrela de neutrões/pulsares – a sua constituição é matéria que resultou da explosão estelar e apresenta elevadíssima densidade.

buraco negro – núcleos estelares extremamente densos que não deixam escapar a luz.

 

 


 

Como se classificam as estrelas?

 

As estrelas não são todas iguais.

A cor de uma estrela é indicativa da sua temperatura e da sua massa o que, por sua vez, nos indica a sua idade. As estrelas mais quentes (e de maior massa) são as mais azuladas, as mais frias (e de menor massa) apresentam-se mais avermelhadas, sendo o amarelo um caso intermédio (como o Sol).

Estrelas de maior massa, as azuladas, vivem pouco tempo (dezenas ou centenas de milhões de anos), pois consomem o seu material muito rapidamente. Estrelas de menor massa podem durar mais do que a idade presente do Universo (milhares de milhões de anos). O Sol, um caso intermédio, tem cerca de 5 mil milhões de anos e está a meio do seu tempo de vida.

Algumas são gigantes, até maiores que a órbita de Marte, e outras são anãs, tão pequenas quanto a Terra.

A temperatura de cada uma está intimamente relacionada com a sua cor. Por exemplo, as estrelas azuladas são as mais quentes e possuem como elemento químico predominante na origem da coloração o hélio.

A identidade de cada estrela vai se formando aos poucos numa íntima relação entre cor (espectro) e temperatura.

As estrelas mudam ao longo dos tempos. Nascem e morrem.

Durante suas vidas gigantescas (biliões de anos!) evoluem de tal maneira que as temperaturas também variam.

Foi criado um critério para classificação de estrelas de acordo com a sua temperatura:

Apresentam diversas cores: vermelhas, amarelas, laranjas, azuis e brancas. As temperaturas de suas superfícies variam, assim como suas composições químicas.

As estrelas novas são as mais quentes, esfriando lentamente ao longo das eras. 

As estrelas são classificadas segundo os seus espectros por ordem decrescente de temperatura superficial, de acordo com a tabela que se segue:

 

Classe espectral

Temperatura (ºC)

Cor

O

50.000 - 30.000

azul

B

30.000 - 10.500

branco-azulado

A

10.500 - 7.500

branco

F

7.500 - 6.200

branco-amarelado

G

6.200 - 5.300

amarelo

K

5.300 - 3.800

laranja

M

3.800 - 2.500

vermelho

 

Aumento da temperatura

 

 

As estrelas foram também classificadas quanto à dimensão, como a seguir:

I - supergigantes
II - gigantes brilhantes
III - gigantes
IV - subgigantes
V - anãs ou normais
VI – subanãs

 

Através desta classificação, podemos situar o nosso Sol como sendo uma estrela do tipo GV (temperatura superficial de cerca 6.000 ºC, amarelo e normal).

 

 


 

O Sol

 

De entre os milhões e milhões de estrelas existentes no Universo, há uma que é fundamental à vida na Terra. Essa estrela é o Sol.

 

 

http://observe.arc.nasa.gov/nasa/gallery/image_gallery/solar_system/graphics/soho12.jpg

 

 

Enorme bola de gases incandescentes, o Sol produz grande quantidade de energia sob a forma de luz (energia luminosa) e de calor (energia térmica). esta estrela é composta de hidrogénio e hélio no estado incandescente e possui 1,4 milhões de km de diâmetro, que equivale aproximadamente a 109 vezes o diâmetro da Terra, e a sua massa equivale a 745 vezes a massa de todos os planetas do Sistema Solar juntos.

 


 

Endereços consultados

 

http://www.feranet21.com.br/curiosidades/estrelas_nascimento.htm - Como nascem as estrelas?

http://www.rio.rj.gov.br/planetario/apostilas_prof/estrelas/estrelas.htm - Evolução estelar

http://www.oal.ul.pt/oobservatorio/vol7/n7/vol7n7_4.html - Formação de estrelas

http://www.oal.ul.pt/oobservatorio/vol10/n9/pagina2.html - As cores das estrelas

http://www.portaldoastronomo.org/tema_14_3.php - Como nascem as estrelas?

http://www.portaldoastronomo.org/tema_14_4.php - O Grande Ciclo Cósmico
http://www.seara.ufc.br/especiais/fisica/estrelas/estrela1.htm - Nasce uma estrela

http://www.cdcc.sc.usp.br/cda/aprendendo-superior/evolucao-estelar/estrela02.html

http://www.seara.ufc.br/especiais/fisica/estrelas/estrela3.htm - O destino das estrelas

http://cienciahoje.uol.com.br/view/1978 - Como fazem os cientistas para descobrir a forma, idade e composição dos astros!

http://www.astromia.com/fotouniverso/galeria1.htm - Fotografias de estrelas

http://observe.arc.nasa.gov/nasa/gallery/image_gallery/solar_system/graphics/soho12.jpg - Imagem do sol.

 


 

 Grupo de trabalho

 

Trabalho realizado por: Fábio (8), Inês Bastos (9), Inês Maria (10),  Luís Tiago (17), Mariana Barc (21).


 

Páginas visitadas: cyberturma.no.sapo.pt